Descobrir os hábitos do consumidor pode garantir expansão nos negócios

Com o tema “O novo varejo: inovações na prática”, o consultor do Sebrae RS Fabiano Zortéa trouxe a uma plateia atenta as experiências que estão dando certo no mundo dos negócios. A palestra ocorreu no encerramento do 6º Congresso Brasileiro do Varejo, promovido pelo Sindilojas Porto Alegre no Centro de Eventos FIERGS. Segundo o profissional, hoje, as novidades tecnológicas levam muito menos tempo para chegarem ao Brasil e a Porto Alegre. Pela sua experiência há 14 anos na entidade de apoio ao pequeno e médio empresário, a curiosidade aguçada e a coragem de mudar são as principais características dos líderes modernos.

“As pessoas se engajam quando têm desafios e, atualmente, fixar o conceito da marca é um dos maiores deles”, afirma Zortéa. Para ele, ampliar a visão do produto, gerando desejo e atendendo às necessidades individuais do consumidor, é uma das maneiras de gerar engajamento. Quem conhece bem o seu cliente leva vantagem nessa hora.

PERSONALIZAR E INOVAR

Zortéa trouxe em sua fala uma série de exemplos que aproximam o tema do novo varejo do público. A prática de customizar, ou seja, personalizar o produto e torná-lo exclusivo para cada cliente, é habitual a grandes marcas. Nessa linha, a gigante Nike vende seus tênis na loja física dando ao consumidor a possibilidade de escolher os detalhes que gostaria que fossem impressos ao produto que irá comprar. Outros exemplos são a loja de batons, que dá ao cliente a chance de escolher o sabor do produto, ou a loja de óculos de grau pela internet, a qual oferece um mapa com os pontos na cidade mais convidativos à leitura. “É importante entender que tipo de possibilidades a gente tem à luz dessas novas práticas e oferecer ao cliente propósito e experiência”, destaca o consultor.

Noutro momento, Zortéa falou sobre não ter medo de inovar e testar novas tecnologias. Um simples código QR Code impresso numa sacola do produto, argumenta, pode ajudar a resolver possíveis objeções que o cliente tenha à compra se conseguir dar mais detalhes e informações relevantes sobre o produto. “São ideias boas e baratas de um uso inteligente da tecnologia”, exemplifica. Pelo seu dinamismo, o varejo exige a geração de um fluxo muito maior com engajamento. Para ele, é preciso descobrir o que o cliente pensa, conhecer suas preferências e até hábitos para investir em nichos do mercado, além de alinhar parcerias com fornecedores e até com concorrentes também pode ser uma boa estratégia de envolvimento do consumidor. Essa é a experiência da ação Store in Store realizada num shopping da Capital. Uma loja dentro da loja explora a ideia de oferecer vários produtos num mesmo espaço, gerando um resultado diferente e que, segundo Zortéa, que pode ser mais explorado no Brasil.

Voltar